Os 7 telhados verdes mais incríveis!

Recentemente fizemos um 3d e publicamos no nosso Instagram.

Nesse projeto fictício colocamos um telhado verde e isso me deu a ideia de fazer um vídeo mostrando para vocês 7 projetos incríveis que utilizam telhados verdes.

A definição de telhado verde muitas vezes inclui qualquer cobertura que possua aspectos sustentáveis, como painéis solares e pinturas que absorvem menos calor.

Nessa lista vou falar apenas de telhados que realmente possuem uma cobertura vegetal.

Nosso primeiro projeto é a Sky Garden House, criada em 2010 pela Guz Architects, na ilha de Sentosa, localizada na Singapura.

O objetivo do uso de telhados verdes era dar a impressão de que cada patamar está descansando em um gramado.

Agora vamos para Holanda, para ver o Biesbosch Museum.

Esse museu foi completamente reformulado em 2015 pelo Studio Marco Vermeulen.

Sua cobertura verde se mostra como um prolongamento da vegetação do parque onde está localizado o museu, se integrando com a paisagem.

O próximo se trata do Espace Bienvenüe, um Pólo Científico localizado na França. Projetado em 2014 pelo escritório Jean-Philippe Pargade, uma de suas edificações possui um amplo telhado verde, que compõe um grande parque central.

O Acros Fukuoka Prefectural International Hall está localizado no centro da cidade de Fukuoka, no Japão, sendo um espaço para realização de diferentes atividades e eventos.

Foi projetado pelo arquiteto Emilio Ambasz, e o seu telhado verde está disposto em 15 terraços escalonados, sendo assim também visível quando observado de frente.

O quinto projeto é um campus do Skool4Kidz, também em Singapura. Projetada pelo escritório Freight Architects, essa grande escola possui um formato diferente, se assemelhando a um casulo, quase completamente coberto com vegetação.

O telhado verde do Kingsland Wildflowers foi pensado pelo Greenpoint Community Environmental Fund para ser uma expansão natural e um corredor verde para vida selvagem em Nova York, nos Estados Unidos.

Localizado em cima de um estúdio de cinema, foi projetado e construído pela Alive Structures.

E o último projeto de que vou falar é o Centro de Visitantes do Jardim Botânico do Brooklyn, que foi projetado pelo escritório Weiss/Manfredi, em 2013. Através deste a cidade se integra com o jardim, e o seu belo telhado verde amplifica essa  conexão, conectando-se com o jardim.

Telhados verdes possuem um grande valor no que se refere a sustentabilidade, mas também agrega muito ao projeto no qual é instalado.

É um diferencial na estética e na usabilidade da edificação.

EDIFÍCIO NIEMEYER

Estamos na Praça da Liberdade, região
centro-sul de Belo Horizonte, cercados de construções históricas, lindas e
importantes.

Mas o prédio que mais chama atenção aqui e que intriga quem passa por aqui é este: o edifício Niemeyer.

O edifício criado por Niemeyer

O arquiteto Oscar Niemeyer se inspirou
nas montanhas mineiras para fazer as curvas do edifício, que é um dos cartões
postais de BH.

Ele é o prédio mais alto da praça e o
único que é residencial.

Bom, essas ondas externas do edifício
todo mundo conhece. O que pouca gente já viu é como é que
ele é por dentro.

Eu fico me perguntando como será morar nesse prédio?

Será que as paredes são tortas?

Os andares parecem baixinhos né?!

E hoje a gente vai matar a minha curiosidade e a de muita gente!
Duas moradoras toparam receber a gente.

Vamos lá?! Olá, boa tarde!
Beleza? A gente veio falar com a Marinela.

Vou avisar a ela.

Obrigada.

Alô, fala com Marinela que a Maíra veio fazer gravação com ela.

Pode subir! Obrigada “Nó!” Que lindo, gente.

Tem uma ante-sala antes de a gente entrar no apartamento.

Oi, tudo bem? Prazer. Boa tarde.

Marinela Uxa, viemos matar a curiosidade de muita gente. Vamos lá! Vamos lá! Gente, apartamento é muito maluco!

A primeira coisa que eu já detectei é que,
lá de fora, a gente tem a impressão de que vocês devem rastejar aqui dentro.

É, as pessoas não conseguem entender, mas são três vigas, 3 brises. Há, a cada 3, é um apartamento.

Nossa, é lindo! O pé direito são três metros. São quantos andares? São dez andares
na realidade.

A Marinela é arquiteta e ela vai poder bater um papo profissional com a gente. Eu sou talvez hoje a primeira moradora aqui. A mais antiga? É, meu pai já morreu. Nós fomos o segundos a morar aqui. Isso em 1961.

Escolhe um lugar pra gente assentar que você ache bonito?

Vista privilegiada

Nossa é bonito demais! Olha a Praça da Liberdade vista de cima!! Gente, que coisa mais linda! Esse prédio aqui é importante porque
ele é tombado pelo patrimônio nos níveis municipal e federal.

Sim, foi tombado primeiro pelo municipal e depois foi pelo federal, quando eles tombaram a praça toda.

O Niemeyer teve um momento de sorte, ele teve um time muito bom. Ele não era muito
conhecido mas ele ficou muito amigo de Juscelino Kubischek.

Então, quando Juscelino foi o governo de Minas, ele trouxe o Niemeyer pra cá e ele fez
muitas obras em Belo Horizonte.

Eu considero o Niemeyer um artista. Ele faz escultura.

Esculturas gigantes né?!

É!

Você mora dentro de uma obra de arte?

Sim, de uma obra de arte.
Hoje ele é símbolo.

E aí ele virou o arquiteto das curvas e ele é um mestre nisso. Não é fácil! Nesse apartamento por
exemplo, não tem ângulo reto. Há é?

Em nenhum lugar, só nesse pedaço aqui que eu criei um pedaço de um metro e vinte de gesso. Eu tinha
um móvel, este armário de canto, que eu queria por.

E ele não cabia em lugar nenhum. Porque não tem ângulo reto, é tudo inclinado.

Os quartos são todos assim. qualquer encontro de paredes que a gente olhar é um ângulo aberto.

Este aqui, olha, tem mais de 45 graus. Não tem de 90 graus aqui! Ele era muito gênio né? Gente, é incrível.

De cada janelinha do apartamento a gente tem uma vista completamente diferente. E o legal é que a gente se vê de vários quartos da casa, de cada janela a gente
consegue ver uma parte do próprio apartamento e uma parte da cidade
completamente diferente!

Então você pode dar tchau para o seu
filho daqui da janela. Ali você já enxerga, isso é muito curioso! Os ladrilhos do prédio são do Athos Bulcão. Ele era muito amigo do Niemeyer, fizeram muitas obras juntos, principalmente em Brasília.

Ele é muito interessante, é geométrico, faz umas coisas muito bonitas. Você gosta de abrir sua casa? Eu abro.

Não que eu goste, mas mas eu acho que é respeito à obra. Mesmo que seja uma coisa
privada, que é minha, eu acho que eu devo dividir.

O desenho dele, a movimentação
dele, você tira retrato dele olhando pra cima, de qualquer lugar que você vá, ele
ele muda. É como se ele estivesse vivo. É isso!

À medida em que a gente vai andando ao redor do edifício, vamos descobrindo
vários ângulos diferentes, cada um mais incrível que o outro e
eles variam de acordo com o declive da rua e a posição da fachada.

Este aqui contra o céu, pra mim, é um dos mais lindos. Posso te pedir pra gente dar uma volta
então no apartamento? Pode!

Eu nunca vi uma sala redonda desse jeito na minha vida. Eu esqueço das curvas. Você vê que eu botei móveis retos. Nossa, a visita daqui, que linda! Estes objetos na janela a gente consegue
ver lá de fora.

E aqui é a parte íntima? É. Com licença,
estamos entrando no quarto dela. Que grande! Aqui tem duas partes.

É, esse é o quarto de casal. Gente, o mais legal é a janela que é baixa né.
Tem que tomar cuidado, o pessoal vê a perna, vê tudo aqui. Isso aqui é incrível.

Assentar na sua cama vendo a pessoas caminharem na Praça da Liberdade, olha isso!! Que loucura! Não precisa nem se levantar para estar na janela.

Você pode ficar lendo um livro deitada. Parece que você mora na praça também. Você observa da janela? Eu fico olhando.

Ela é muito frequentada por famílias, no domingo é bastante
cheia. Marinela, então muito obrigada! Obrigada a vocês.

Muita gente vai, tenho certeza, adorar ver seu apartamento por dentro. Vai fazer sucesso! Vamos ver!

Próxima moradora

Agora vamos na casa da próxima moradora, que é no segundo
andar.

Oiii! Oi, querida! Tudo bem, Márcia? Tudo ótimo. Sua mãe melhorou? com licença. Aqui são três torrões assim, 3 curvas.

Uma no meio grande e duas assim menores. são dois tipos de apartamento. O
apartamento pequeno ocupa os lados.

Tem uma frase do Niemeyer que entrou para a história e que resume bem os traços da obra dele:

Não é o ângulo reto que me
atrai. Nem a linha reta, dura, inflexível criada pelo homem.
O que me atrai é a curva livre e sensual. A curva que encontro nas montanhas do
meu país, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o universo. O
universo curvo de Einstein.”

Morar aqui eu acho uma dádiva de Deus.

Por que? Porque é bonito demais. Eu sou muito observadora da natureza.

Eu observo tudo que é natureza. Eu falo: meu Deus, eu vivo no meio dos coqueiros. É coqueiro de todo tipo, de toda altura!

A gente passa o dia aqui muito bem
sem luz elétrica. De tanta luz que vem de fora! São 16 janelas em cada cômodo.

O prédio é todo, os lados todos, não tem nenhuma parede fechada. Só é fechada a parte de baixo da
cozinha. Tem uma janela que é a predileta? Que tem a vista mais bonita? Olha, aqui eu acho que é igual. Todas!

Aqui você assiste a todos os desfiles, as
festas patrióticas e eu sou muito alegre. Eles cantam o hino nacional de lá, eu canto cá!

Eles cantam o hino da bandeira lá e eu aqui. É uma festa e eu vivo o morar aqui. A gente pode dar uma voltinha pra ver? Pode!

Há é aqui que é o jantar vendo os coqueiros? É. Gente, olha esse banheiro que fofura,
com o privilégio de ter uma árvore gigantesca bem na janela! E aqui tem um
pedacinho da Praça da Liberdade também.

Nós aqui temos um jardim florido, um jardim cuidado. É luxo demais! Aqui quando tem carnaval,ele é feito aqui. Então, daqui a gente vê tudo.

Você observa as pessoas tirando fotos do seu prédio? O dia inteiro. É? Todo dia? Eles pedem, batem na porta, com a licença do porteiro.

E eu vou
te contar muito reservadamente… São pouquíssimos os moradores que
consentem. Porque nem todo mundo quer mostrar como mora.

Miguel, tem gente que deve confundir com museu? Com certeza, gente do mundo inteiro vem aqui.

As montes! É o turista que passa e tira foto. SE você ficar ali em baixo no prédio, uns 15 minutos, vai ver o tanto de gente que passa e tira foto, que entra, que olha, que desenha.

Que fica deslumbrado com a arquitetura. Mas o mais importante é que as pessoas acham que
aqui é tudo assim né, uma coisa redonda.

Na hora que você vê de fora, é sim. Mas quando você vê daqui dentro, se você chega perto, vê que ele tem uma
pequena curva. Quase reto.

Essa é a grande essência do arquiteto Oscar Niemeyer. Ao projetar o prédio, ao fazer a construção, como ele conseguiu que de fora você tenha uma impressão e lá dentro você não tenha.

Você põe móveis retos, quadros retos. Ele não tem luxos, não tem piscina, não tem quadra, …

Você tem um terraço. Ai, nós podemos ir lá? Vamos levar vocês lá sim! Agora você vai chegar no paraíso! Que lindo! Olha o degrau! uauuu! Tem uma parte que é de um apartamento e esta aqui é para os outros moradores? É.

Quem quiser vir, faz parte do uso comum. Eu não consigo parar de tirar foto. Cada
lado que olho é mais lindo que o outro!

Eu nunca tinha visto a Praça
da Liberdade assim do alto, verde, linda! Que privilégio! Espero que vocês gostem!

É mais do que uma obra de arte. É um
conjunto de tudo ao redor. Tem a parte da arquitetura, a parte de Deus, a parte da natureza, uma praça maravilhosa!

Eu sempre quis entrar nesse prédio e tenho certeza que muita gente está realizado também. Obrigada! Vamos dar um tchau pra quem assistiu a gente? Pois não, tchau! tchau.

Agora podemos ir. Eu que agradeço a visita, Você é muito simpática. Você também.

E o apartamento está às ordens. Obrigada. Um beijo. Eu vou correr para vai pegar uo por do sol lá na Praça, no prédio.

5 incríveis megaprojetos em andamento

Quando a genialidade e a criatividade humana
é utilizada em prol do desenvolvimento da arquitetura, do design e da engenharia, grandes
obras de arte podem surgir.

Foi assim em várias épocas distintas, com
a construção de templos, palácios, castelos e outros monumentos que entraram para a história
não apenas da arquitetura e da engenharia, mas também da humanidade como um todo.

Felizmente, nós não paramos de evoluir,
e essas grandes construções seguem aparecendo e nos impressionando.

Eu sou William Tofoli, narrador do Mistérios
do Mundo, e aqui estão os 5 megaprojetos mais incríveis que estão sendo feitos.

Os 5 megaprojetos

Iter – França

O ITER, sigla para Reator Termonuclear Experimental
Internacional, é uma iniciativa que une esforços de 35 nações, incluindo a maioria dos países
da União Europeia, Estados Unidos, Japão, China e Índia, em um projeto ambicioso e
impressionante.

A ideia dos cientistas envolvidos é criar
um ambiente de testes e pesquisa, onde possam ser recriadas as reações que ocorrem no
interior do Sol.

O ITER consiste em uma usina de fusão nuclear,
que usa o hidrogênio operando a 100 milhões de graus para produzir 500 megawatts de potência
durante 20 minutos, através do processo de fusão nuclear.

Por mais impressionante que isso possa parecer,
a ideia é uma realidade em desenvolvimento, e tem o potencial de revolucionar a forma
como produzimos energia.

As construções começaram em 2013, e todos
os envolvidos tomam um grande cuidado para que os trabalhadores estejam sempre bem protegidos
da intensa radiação produzida no reator. Até o momento, 60% das obras já foram concluídas,
e o complexo deverá estar em pleno funcionamento já em 2025.

Aeroporto O’Hare, Estados Unidos

O Aeroporto Internacional O’Hare, localizado
em Chicago, está passando por uma grande reforma visando os planos dos Estados Unidos
de hospedarem a Copa do Mundo de 2026 e os Jogos Olímpicos de 2028.

Estima-se que os custos das obras giram na
casa dos 8 bilhões de dólares. Esse valor será investido, entre outras coisas,
na total reconstrução do Terminal 2 do aeroporto, enquanto o Terminal 5 passará por uma grande
expansão.

Ao todo, serão 50 novos portões de embarque
e desembarque, e 280 mil metros cúbicos a mais de espaço. De acordo com o cronograma das obras, a reforma
no Terminal 5 deverá ser concluída em 2022, enquanto as outras fases continuarão até
2028, no ano das Olimpíadas.

Grande Barragem da Renascença, na Etiópia

Essa barragem é um dos maiores megaprojetos
da história recente da África.

Os trabalhos foram iniciados no país já
em 2011, e a ideia é que ela seja a maior planta hidroelétrica do continente, capaz
de gerar 6,45 gigawatts de energia quando estiver 100% concluída.

Segundo as últimas estimativas, isso deve
ocorrer em 2022. A barragem, que pode ser vista como um verdadeiro
titã da engenharia, terá 1,8km de comprimento, e demandará 10 milhões de toneladas de concreto
durante a sua construção. Ao todo, este megaprojeto será capaz de armazenar
74 quilômetros cúbicos de água. Apesar de ser visto como positiva por muitas
autoridades, a construção da barragem já foi alvo também de várias críticas, principalmente
pelo fato de que a população etíope possui outros problemas sociais, financeiros e humanitários
a serem resolvidos.

Para os contrários às obras, os vultuosos
4 bilhões de dólares envolvidos no projeto seriam melhor aplicadas no combate à fome,
à pobreza e demais mazelas da Etiópia.

One Barangaroo – Austrália

Esse megaprojeto prevê a construção de
um enorme arranha-céu que deverá ter mais de 270 metros. Ele ficará no novo distrito de Barangaroo,
em Sydney, e será o novo maior prédio da cidade.

Além disso, este gigante da engenharia moderna
será o primeiro hotel seis estrelas da Austrália, com 75 andares e 82 apartamentos de luxo. A infraestrutura interna oferecerá spa’s,
academias, quadras de tênis, piscinas gigantescas e restaurantes de luxo.

A ideia central do design do prédio é que
ele tem uma forma escultural e curvilínea, uma obra de arte habitada, que contrasta com
a geometria mais ortogonal de outros edifícios altos nas redondezas.

Inspirando-se na natureza, a torre emana de
três pétalas que torcem verticalmente à medida que sobe, tornando-se um dos conceitos
mais inovadores e desafiadores já propostos.

Chuo Shinkansen – Japão

A ideia de ser o detentor dos trens mais rápidos
do mundo sempre foi muito apreciada pelos japoneses.

Desde os anos 60, com o lançamento dos primeiros
trens de alta velocidade, o Japão briga sempre pela dianteira na corrida pelos vagões mais
velozes.

Agora, com a construção do novo Chuo Shinkansen,
os nipônicos pretendem dar um novo salto nessa luta. Trata-se de um trem que deve ser capaz de
alcançar mais de 500 km/h, e a ideia é que ele percorra os 284 quilômetros entre Tóquio
e Nagoya em apenas 40 minutos. Cerca de 90% dos trilhos serão subterrâneos,
e passarão por dentro dos Alpes Japoneses, reduzindo em 50% o tempo atual de viagem.

Talvez tão impressionante quanto a velocidade
do novo trem seja o custo estimado da obra: 84 bilhões de dólares.

A nova linha, de acordo com as últimas estimativas,
deve estar pronta para o uso em 2027.

Poderá ver o vídeo no youtube Aqui